Sobre Nós   -   Contato    EnglishItalianoAlemanEspañol

RSS Comunicados públicos da FARC-EP

Novo massacre contra familiares de guerrilheiro das FARC-EP

1
0
1
s2smodern
powered by social2s

O Estado Maior das FARC-EP se permite denunciar ante a opinião pública nacional e internacional os seguintes fatos ocorridos contra familiares de integrantes de nossa organização:

1. Em 24 de abril de 2017, sendo aproximadamente as 20:30 horas em Tarazá – estado de Antioquia, Bairro Maria Gain, foram encontrados sem vida os corpos de: Kellys Henao de 20 anos de idade, Alberto Osorio de 33 anos e a menor Marcela Osorio de 14 anos que foram brutalmente massacrados na sua moradia.Todos eles são familiares de Guillermo León Osoorio, integrante das FARC-EP e mora na Zona Veredal Transitoria de Normalização “Juan Carlos Castañeda”.

2. Até o momento os familiares sobreviventes desse terrível massacre manifestam que os autores são presuntos integrantes de grupos paramilitares que operam na região, quem manifestaram-lhes que “até que não terminaram de matar toda essa família, não parariam".

3. Esse caso foi posto em conhecimento por parte dos mecanismos de observação e seguimento dispostos no Acordo Final de Paz às autoridades competentes a objeto de prestar as medidas de segurança aos familiares e conhecidos sobreviventes. As autoridades manifestaram que “não podem prestar segurança às famílias porque não existe orçamento por parte da Polícia de Tarazá e que ela só pode fazer o levantamento dos cadáveres e não mais”.

4. Até o momento familiares de Willson Adrian Tapias, integrante das FARC-EP na Zona Veredal em Carrizal e sobreviventes continuam em Tarazá recebendo ameaças por ditos grupos, não contando com a oportuna e devida proteção por parte do Governo Nacional nem do Estadual. Consequentemente, não têm-se realizado as medidas de persecução e investigação com o fim de judicializar os autores materiais e determinadores desas condutas.

5. Os fatos anteriores estiveram precedidos pela circulação de panfletos ameaçantes no Município de Tarazá, segundo a informação proporcionada pelos familiares e vizinhos sobreviventes, nos que se mencionava e ameaçava os integrantes das FARC-EP e suas famílias.

Antecedentes

1. O dia 24 de novembro de 2016 o Governo Nacional e a Guerrilha das FARC-EP subscreveram o Acordo Final para a Terminação do Conflito e a Construção de uma Paz Estável e Duradoura.

2. Que o ponto 3.4 do Acordo Final tem um dever por parte do Estado Colombiano de proporcionar garantias plenas de segurança e luta contra as organizações e condutas ocasionadas pelas organizações consideradas como sucessoras do Paramilitarismo.

3. Que até o momento o Estado Colombiano apesar de se requerer de um organismo autônomo e independente para investigar os graves crimes cometidos pelas organizações paramilitares, não se tem implementado a Unidade Especial de Investigação para o desmantelamento das organizações e condutas criminais responsáveis de homicídios e massacres que atentam contra defensores/as de Direitos Humanos, movimentos sociais ou movimentos políticos, ou que ameacem ou atentem contra as pessoas que participem na Implementação dos Acordos, entre outras.

4. Nas últimas semanas têm sido sequestrados, torturados e degolados pelos grupos paramilitares que operam em El Chocó, os irmãos Dalmiro Cárdenas e Ansel Cárdenas, irmãos do guerrilheiro das FARC, Robinson Victorio, recluído no cárcere de Chiquinquirá. Estos fatos foram precedidos pelo assassinato no Departamento de Nariño, de Luis Alberto Ortiz, integrante ativo das FARC-EP e, beneficiário da Lei de Anistia, quem uma vez recupera sua liberdade foi atacado com arma de fogo, causando-lhe de forma imediata a morte.

Solicitudes

1. De maneira urgente e imediata se garantir os direitos à vida e integridade física dos familiares e vítimas sobreviventes que se encontram no Município de Tarazá e, que continuam sem nenhum tio de proteção por parte das autoridades nacionais estaduais.

2. À Promotoria Gral da Nação e às demais autoridades competentes que se investigue de forma eficiente, rápida e imparcial esses graves fatos que dão conta da ocorrência de um massacre.

3. À Defensoria do Povo, à Promotoria Geral da Nação e demais entes pertinentes, verifiquem os fatos descritos e impulsionem as solicitudes de garantias e pproteçao dos direitos das vítimas afetadas.

4. Aos organismos de observação, verificação e seguimento dispostos no Acordo Final, de maneira especial à Organização das Nações Unidas a que investigue no marco do estabelecido para tais efeitos no Acordo Final, por ser esses fatos constitutivos de uma afetação grave do Cessar do Fogo Bilateral e Definitivo subscrito entre o Governo Nacional e a Guerrilha das FARC-EP.

5. Ao Governo Nacional a pôr em marcha de maneira urgente os mecanismos de garantias, proteção e segurança dispostos no Acordo Final de Paz.

Convidamos as organizações sociais e defensoras dos Direitos Humanos, forças vivas da sociedade civil, os diversos setores políticos e econômicos, a fazer o mais amplo pacto em defesa da vida de todos os e as colombianas.

Estado Maior das FARC-EP

1
0
1
s2smodern