Sobre Nós   -   Contato    EnglishItalianoAlemanEspañol

RSS Comunicados públicos da FARC-EP

Infâmias doTenente Coronel Hernán Gutiérrez sobre Zona Veredal em Ituango

1
0
1
s2smodern
powered by social2s

O Comando de Direção da Zona Veredal Transitória Camarada Román Ruiz, de Santa Lucía, município de Ituango, estado de Antioquia, comunica à opinião pública:

Primeiro: Com profunda surpresa recebemos a informação de nosso delegado no Mecanismo de Monitoramento e Verificação Local, Camarada Fredy Ríos, sobre uma reunião do citado mecanismo celebrada em Santa Lucía, a petição do Tenente Coronel Hernán Gutiérrez, Comandante do Batalhão Bajes, à que assistiram, ademais dos integrantes do mecanismo, o delegado da Oficina do Alto Comissionado de Paz, senhor Carlos Galán, o Maior do Exército que presta segurança à Zona Beredal, senhor Miker Macareno Chacón e, o próprio Coronel Gutiérrez, quem proferiu irresponsáveis sindicações contra os integrantes desta Zona Veredal Transitória de Normalização.

Segundo: O Tenente Coronel Hernán Gutiérrez afirmou que falava em nome do grêmio dos comerciantes de Ituango, que segundo ele tinham expressado seu cansaço com a Zona Veredal, pois, pese a crer que graças ao Processo de Paz poderiam morar mais tranquilos, isso não tinha sido possível já que as FARC e, mais exatamente, os guerrilheiros Agustín Elmer e Molina, lhes seguiam cobrando um tal imposto para a paz, quer dizer, os continuavam a extorquir. O mais grave, era que muitos deles tinham-se visto obrigados a levar as somas a pagar à própria Zona Veredal Transitória de Normalização.

Terceiro: À inquietude expressada por todos os integrantes do Mecanismo de Monitoramento e Verificação, do que fazem parte ademais do delegado das FARC, os delegados governamentais e das Nações Unidas, no sentido de que nem uma só pessoa tinha-se aproximado ao mecanismo a fim de fazer denuncia alguma nesse sentido, o Tenente Coronel expressou que os afetados tinham-lhe comentado que se abstenham de fazer a denuncia, pois segundo os afetados, as FARC e a Nações Unidas eram exatamente a mesma coisa. Acrescentamos que o Tenente Coronel não apresentou prova alguma para sustentar o dito por ele, nem mencionou nome algum dos presuntos extorquidos.

Quarto: Não gostaríamos de qualificar em modo algum o proceder do Tenente Coronel Gutiérrez, tão parecido às habituais campanhas de desprestigio utilizadas contra nossa organização nos tempos do conflito. Na nossa opinião, sua jerarquia militar lhe implica maior responsabilidade à hora de fazer denuncias que põem em questão não só os encarregados da segurança na Zona Veredal, os integrantes do Mecanismo de Monitoramento e Verificação e as FARC, mas o curso do processo de deixação das armas e da reincorporação à vida civil, que com sobradas boa fé e seriedade nossa organização tem cumprido ante os olhos do país e da Comunidade Internacional.

Quinto: Os mecanismo tripartitos de monitoramento e verificação foram cuidadosamente protocolizados nos Acordos de La Habana, com o propósito explícito de verificar o cumprimento de suas obrigações para cada uma das partes durante o Cessar do Fogo e de Hostilidades, Bilateral e Definitivo. Ante eles é que com as devidas provas deveriam se apresentar os denunciantes de qualquer irregularidade e, consideramos que assim deveu ser o informe do Tenente Coronel Gutiérrez sobre os afetados aos que ele se refere. Sua responsabilidade jerárquica em momento algum o exime do cumprimento de Acordos pactados com a participação e supervisão do alto Comando Militar colombiano.

Sexto: As FARC-EP como o constatará o Conselho de Segurança das Nações Unidas, temos cumprido a cabalidade com cada um de nossos compromissos. Somos uma organização responsável e disposta a responder por cada um de nossos atos. Qualquer observador imparcial pode concluir que uma vez concentrados nas Zonas Veredais e Pontos Transitórios de Normalização, em redor dos quais existe um controle militar total por parte das Forças Armadas colombianas e, expostos à supervisão pública do país e do mundo, mal poderíamos pensar em faltar à palavra empenhada. Só fanatismos cegos podem estar acusando-nos de ter condutas que nos levariam ao suicídio.

Respeitosamente solicitamos seriedade e responsabilidade a todas as autoridades colombianas. Nossa Nação passa por uma hora decisiva e não pode permitir-se que por atitudes precipitadas se ponha em risco a paz e a reconciliação que tanta dor tem costado concretizar.

Santa Lucía, Ituango, Antioquia, 4 de maio de 2017

1
0
1
s2smodern